No ar
Experiência de Deus
Sábado, 21 de julho de 2018
(37) 99103-6865
Notícias

26/06/2018 ás 14h34 - atualizada em 26/06/2018 ás 17h21

Redação

Campos Altos / MG

Homem é indiciado por roubar, estuprar e agredir mulher que simulou estar morta para sobreviver em Uberlândia
Vítima reconheceu o criminoso, que está no Presídio Professor Jacy de Assis. Crimes ocorreram no último dia 14, quando ela fazia caminhada na zona rural; delegada relatou ao G1 que foi um crime cruel.
Homem é indiciado por roubar, estuprar e agredir mulher que simulou estar morta para sobreviver em Uberlândia
Uberlândia

Polícia Civil indiciou na segunda-feira (25) um homem de 31 anos em Uberlândia por roubo, estupro e tentativa de homicídio qualificado pelo meio cruel. De acordo com a delegada Alessandra Rodrigues da Cunha, ele foi reconhecido como autor dos crimes contra uma mulher de 49 anos que simulou estar morta quando era agredida por golpes de facão, após ter sido estuprada na zona rural da cidade.


Os crimes ocorreram no último dia 14 de junho. A vítima fazia caminhada quando foi surpreendida por um ciclista que roubou a aliança e uma corrente dela, depois a obrigou a correr para o mato, a estuprou no local e em seguida tentou matá-la com vários golpes de facão.


A vítima conseguiu sobreviver às agressões, pois fingiu estar morta. Em seguida, o autor fugiu na bicicleta e foi encontrado no mesmo dia do crime pela Polícia Militar (PM) e preso em flagrante.


"Muito ferida e com cortes muito profundos ela rastejou até uma casa próxima, onde foi socorrida. Na última terça-feira ela fez o reconhecimento dele e, na hora teve a certeza que ele é o autor dos crimes. O homem, que já tem passagens por estupro em Belo Horizonte e vários furtos negou o caso, mas a polícia não têm dúvidas de que é ele", comentou a delegada Alessandra Cunha, responsável pelo inquérito.


O autor teve expedido um mandado de prisão preventiva e está preso no Presídio Professor Jacy de Assis.


Crime cruel


O caso foi registrado em uma propriedade rural na BR-452, a cerca de 30 quilômetros de Uberlândia. A delegada contou ao G1 que a vítima morava em uma chácara próxima ao local dos crimes para tratar de uma depressão. Ela foi abordada pelo criminoso enquanto fazia caminhada.


"Durante os crimes, ele falou para a vítima que sabia que ela andava pelo local naquele horário. No entanto, durante depoimento negou qualquer coisa e contou versões esdrúxulas. Não dá para falarmos que foi premeditado, mas ele é um cara extremamente frio e foi muito cruel com a mulher", relatou a delegada.


Após as agressões, a mulher rastejou e caminhou por cerca de 800 metros, foi socorrida por populares, levada à Unidade de Atendimento Integrado (UAI) do Bairro Morumbi e depois transferida para o pronto-socorro do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU), onde foi medicada e recebeu alta.


"A vítima estava bastante ferida, com cortes tão profundos que não foi possível dar pontos. As mãos estão muito machucadas, pois ela tentava proteger o pescoço para não ser atingido pelos golpes de facão. Ele não teve piedade dela em nenhum instante, como delegada nunca vi uma vítima tão ferida. Ela está muito abalada psicologicamente", concluiu a delegada.


 

FONTE: G1

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium