Quinta, 18 de outubro de 2018
(37) 99103-6865
No ar
Hit´s 100,1
Política

09/10/2018 ás 14h06

Redação

Campos Altos / MG

Romeu Zema não descarta apoio de Fernando Pimentel e PT em Minas
Declaração aconteceu ao mesmo tempo que o Novo lançou nota dizendo que não apoiará ninguém na corrida presidencial e fez duras críticas ao PT.
Romeu Zema não descarta apoio de Fernando Pimentel e PT em Minas
Foto: Ramon Bittencourt/O Tempo

O candidato ao governo, Romeu Zema do Novo, declarou que não descartaria apoio de nenhum partido, inclusive o apoio do governador Fernando Pimentel do PT.  Segundo Zema, eles estão abertos a conversar com todos que estiverem dispostos e que concordam com as ideias do partido Novo.



“Se o Pimentel concordar com as nossas propostas e quiser nos apoiar, desde que não haja bancão de negócios, não vamos recusar construir uma Minas Gerais nova. Quem quiser construir vai construir conosco”, declarou Zema. 



Zema começou a campanha na manhã desta terça-feira (9), reunido com pastores da igreja batista da Lagoinha, no bairro Concórdia na região  Nordeste de Belo Horizonte. A princípio, o candidato se encontraria com o Comando da Polícia Militar nesta tarde, mas a reunião foi reagendada para amanhã (10). Romeu Zema escolheu pautas defendidas pelo candidato à presidência da república, Jair Bolsonaro do PSL para iniciar sua campanha no segundo turno da corrida eleitoral.


Zema explicou que esta atendendo as solicitações de categorias, pessoas e políticos que queiram conversar com ele. 


O Lucas Gonzales, deputado federal eleito do Novo, pertence a igreja evangélica e me chamou para conhecer. Ele fez o trabalho dele muito baseado na igreja. Dentro do possível eu tenho atendido todos os pedidos que são propostos na minha agenda.  Quanto a agenda com a segurança pública,  foi o comando da polícia mesmo que nós  convocou, então estaremos lá. Só não atendo mais gente porque o dia não tem mais de 24 horas”, disse. 


O candidato que pediu votos para Bolsonaro no último debate, afirmou que o partido novo  não definiu como vai se posicionar no segundo turno das eleições presidencial, e contou que isso deve ser definido em uma reunião da executiva nacional do partido, na noite dessa terça-feira. “O diretório nacional e que está conduzindo esse diálogo. Nós devemos ter uma posição, muito provavelmente até hoje à noite, a respeito do assunto”, afirmou. 


Sobre a relação com a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG),  Zema disse que se eleito, o diálogo será o mais aberto possível, e afirmou que não aceitará que a Casa funcione como um balcão de negócios. Zema disse que vai conduzir um processo de mudança nos trabalhos do legislativo. O candidato do partido novo declarou que sabe que o trabalho com o legislativo não será fácil. “Eu quero influenciar muito os deputados, vale lembrar que tivemos uma renovação expressiva nas Assembleias, em todo o Brasil.


Quero conduzir um processo de mudança, quero conscientizar os deputados que eu e eles estamos ali representando o povo, temos de fazer o que é melhor para o mineiro e não o que é melhor para determinada categoria ou políticos como sempre tem sido feito. Eu quero ser um agente de mudança nesse sentido, eu quero começar a reduzir esse balcão de negócios. Vou enfrentar dificuldades? Muitas. Vou fazer tudo que tiver ao meu alcance, quero dar os primeiros passos em direção a essa política nova, sem balcão de negócios”, declarou.


 Ouça o trecho



 

FONTE: O Tempo

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium